Apresentação

O Programa de Pós-graduação em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social – EICOS  objetiva a formação acadêmica e científica no campo psicossocial, entendido como produto e produtor das investigações e intervenções desenvolvidas. Dentre essas investigações, destacam-se os temas comunidades e redes; ecologia social e desenvolvimento local; o cotidiano dos grupos desfavorecidos e a inclusão social; novas formações subjetivas e identitárias; sustentabilidade, saúde, educação; formulações novas e tradicionais do conhecimento e dos saberes; e o entrelaçamento da sociedade com as novas tecnologias. Sob essa ótica, o EICOS busca articular a reflexão acadêmica e a pesquisa com a intervenção social, trazendo para o âmbito das Ciências Humanas e Sociais temáticas complexas, entendendo que a compreensão e a interpretação da dinâmica das relações psicossociais constituem-se em vetores estratégicos para a definição dos processos de desenvolvimento do país. A atuação do Programa EICOS compreende atividades de ensino, pesquisa e extensão, em diferentes níveis, desde a Iniciação Científica até a Pós-Graduação, com apoio de órgãos de fomento, tais como CNPq e FAPERJ.
O Programa EICOS foi criado, em nível de Mestrado, em 1992, constituindo uma proposta pioneira e inovadora no campo psicossocial, em termos teóricos e metodológicos. Em primeiro lugar, por incorporar uma perspectiva interdisciplinar na discussão e problematização de questões sociais, em um momento em que esta abordagem ainda era incipiente na área da Psicologia. Tal perspectiva interdisciplinar está presente na formação do corpo docente e discente. Assim, buscava-se construir um campo de investigação psicossocial, perspectiva que hoje se encontra amplamente disseminada nos Programas de Pós-Graduação em Psicologia Social. Em segundo lugar, na proposta do programa evidenciava-se a integração da pesquisa com o ensino e a extensão, ou seja, a importância que, desde aquele momento, se atribuía ao compromisso que a reflexão acadêmica deveria ter com a realidade local, com a incorporação dos saberes locais e com aspectos voltados à inclusão social. E, por fim, o privilégio concedido à temática do desenvolvimento sustentável, entendendo que este se constitui em um campo psicossocial por excelência, envolvendo questões referentes à relação ser humano-natureza, à relação entre os processos de globalização e os laços sociais locais, às constituições identitárias, sobretudo dos chamados grupos desfavorecidos e à produção híbrida de saberes.
Com essa perspectiva, o Programa se afirmou no cenário nacional e internacional, tendo seu caráter inovador reconhecido com a obtenção, no ano de 1993, de uma Cátedra UNESCO de Desenvolvimento Durável. Em 2001, o Programa teve seu curso de Doutorado aprovado e reconhecido pela CAPES. A Cátedra UNESCO de Desenvolvimento Durável do Programa EICOS – UFRJ foi premiada em 2003, com o UNITWIN AWARD, como uma das que se destacaram mais nos últimos 10 anos, a única vencedora em toda a América Latina na área de Ciências Sociais. Seus trabalhos foram selecionados entre 700 grupos universitários em todo mundo.
Embora a vertente da Psicologia predominante no Programa desde a sua origem seja a ligada ao pensamento francês, ao da psicossociologia francesa, a vocação para a adoção de diversidade de abordagens da Psicologia em suas interfaces com a Sociologia vem tornando ao longo dos anos mais amplo o escopo de formações e abordagens presentes no curso. Porém, o programa sempre se pautou no objetivo de articular a Psicologia com outras disciplinas e áreas de saberes das ciências humanas e sociais como a filosofia, a sociologia e a antropologia, dentre outras. O curso desde o início priorizou a perspectiva interdisciplinar para a formação de alunos provenientes da psicologia e das demais formações disciplinares presentes no curso.
Hoje o Programa mantém sua proposta de formação voltada para a investigação interdisciplinar em Psicossociologia e Ecologia Social, com um currículo voltado para a pesquisa em resposta aos desafios sociais, ecológicos, do desenvolvimento, da identidade social e cultural, dentre outros, e para a compreensão dos processos psicossociais dos grupos, das instituições, das coletividades e comunidades, por via de posições epistemológicas, caminhos teóricos e metodológicos complexos, abrangentes, diversificados e pluralistas.
O Programa objetiva o desenvolvimento de expertise no desenvolvimento de métodos e técnicas qualitativas de pesquisa, análise, com o intuito de abarcar objetos específicos de investigação como o da Identidade Social, da Desigualdade e Exclusão Social; do Desenvolvimento e da Ecologia Social em associação aos problemas contemporâneos, como o da Globalização, da Mundialização e Identidade, do Sujeito; do Gênero; do Desenvolvimento Sócio-Cultural; dos Movimentos Sociais, da Cidadania, da Emancipação e do Empoderamento, da Sustentabilidade; da Participação Comunitária e Gestão Sócio-Ambiental e da Saúde.
A diversidade e a pluralidade de abordagens teóricas presentes no Programa, bem como a constituição interdisciplinar da proposta do curso, estão entre os elementos que tornam o Programa atraente para muitos alunos e professores interessados no diálogo entre diferentes saberes, como forma a problematizar a realidade social em toda a sua complexidade. É nesse sentido que a formação diversificada e interdisciplinar do corpo docente do Programa, bem como a do corpo discente, sempre foi uma qualidade e um diferencial que designa fundamentalmente a proposta e a característica precípua do programa desde a sua origem.